Como Funciona uma Ereção?

Todos nós homens já passamos por esse fenômeno em algum momento de nossas vidas, na verdade, até várias vezes por dia, mas você já parou para pensar como isso acontece? Entender este fato não só é algo bem interessante como também importante para a sua saúde, pois, caso haja algum problema nesta área, você estará muito mais apto a percebê-lo e tratá-lo.

Processos Fisiológicos de uma Ereção

Conforme é possível ver na imagem acima e neste vídeo da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) – https://portaldaurologia.org.br/medicos/video/disfuncao-eretil/ -, embora este último se trate de algo relacionado à disfunção erétil, a ereção funciona da seguinte maneira:

Dentro do pênis existem dois tecidos cilíndricos, que vão desde a cabeça dele até a pélvis, chamados “corpos cavernosos”. Esses tecidos são extremamente esponjosos e se enrijecem facilmente ao menor aumento de fluxo sanguíneo. Conforme o cérebro recebe estímulos sexuais, por qualquer um dos sentidos (olfato, audição, visão etc.), ele envia sinais para o pênis, que, por sua vez, dilata as artérias ligadas à ereção, facilitando a entrada de sangue.

Em pouco tempo os corpos cavernosos se tornam inflados, pela sua característica esponjosa, ficando rígidos e causando a ereção, conforme o canto direito do exemplo acima.

Esse é o processo natural de uma ereção, mas, por motivos que veremos a seguir, nem todos os homens atingem esse resultado, na verdade, cerca de 60% dos homens brasileiro acima dos 40 anos, segundo estudo da própria SBU, já experimentaram algum problema relacionado à ereção, e 12% lidam com essa angústia diariamente.

Disfunção Erétil

A disfunção erétil ocorre quando, no processo mencionado na seção anterior, há uma falha orgânica (relacionada ao corpo) ou psicológica (relacionada à mente). Ou seja, isso pode se dar tanto por questões ligadas à circulação de sangue, o que envolveria a influência de doenças como diabetes, hipertensão ou cardiopatias, quanto ligadas ao estímulo sexual, como ansiedade, depressão, estresse…

A disfunção erétil deve ser tratada porque, além de poder ser causada por problemas de saúde mais graves, ela prejudica bastante a qualidade de vida do homem, sendo inclusive, por si só, geradora de depressão e estresse. Mas não precisa se preocupar – há soluções tanto naturais quanto medicinais para esse problema.

Principais Tratamentos para a Disfunção Erétil

  1. Mudanças no Estilo de Vida

Praticar exercícios físicos, assim como ter uma alimentação saudável, evitar o tabagismo e o consumo alcoólico, são as principais “armas” naturais contra a disfunção erétil, pois, melhorando a qualidade da circulação sanguínea no corpo, evita-se também esse problema.

  • Implante Peniano

Este recurso só deve ser utilizado em último caso, por recomendação de um médico, quando nenhum dos outros métodos funcionarem. Há dois tipos de implantes: o maleável, neste caso se colocam dois cilindros, que permanecem dentro de cada corpo cavernoso, e, quando se deseja uma ereção, basta virar a válvula que se localiza nos testículos; e o inflável, que consiste em uma bomba de solução líquida, localizada no abdómen, a qual, através de uma válvula, que fica entre os testículos, infla os corpos cavernosos, substituindo, assim, o sangue. Vale ressaltar que nenhuma desses implantes é perceptível a olho nu.

  • Uso de Viagra Genérico

Utilizar viagra, principalmente as versões genéricas, pouco antes da relação sexual, é extremamente efetivo, especialmente quanto a problemas relacionados à questão psicológica da ereção.

Então, caso tenha algum problema de disfunção erétil, não hesite em procurar ajuda médica, pois, como vimos, há várias soluções para a dificuldade de ter ou manter uma ereção. A mais eficiente (não invasiva) sendo, sem dúvidas, o uso de medicamentos.

Fontes:

Leave a Reply